• Cotidiano

    Sonho bom, sonho de infância

    Quando eu era criança eu tinha um sonho. Desses de querer realizar a qualquer custo. Mudei de sonho na adolescência, pois como todo jovem desorientado eu me perdi pelo caminho e comecei a almejar outras coisas. Fui fazer teatro e acabei redescobrindo o sonho de infância. E não, eu não queria ser atriz, nunca quis. O teatro foi um meio, um caminho muito importante que tomei e que ajudou muito a me encontrar, trouxe possibilidades mil. E eu aproveitei todas elas, menos a de seguir nos tablados da vida. Escolhi um palco diferente, aquele que eu passava as aulas da quinta série sonhando: ser professora. Desde que eu entrei em…

  • Livros e a biblioteca

    O Continente vol. 2 (O Tempo e o Vento #1), de Erico Verissimo

    No segundo volume de O Continente a saga das famílias Terra e Terra Cambará continua. Os capítulos abrangem os períodos de 1850 a 1895. Bem menos do que no primeiro tomo, que vai de 1750 a 1836 mais o ano de 1895 com O Sobrado. A estrutura do livro é a mesma do primeiro volume, trechos de O Sobrado intercalam os capítulos A Teinaguá, A Guerra e Ismália Caré. Três grandes capítulos que, ao contrário dos integrantes da primeira parte da obra, não são tão independentes e, portanto, não dariam muito certo como publicações avulsas (lembra que Ana Terra e Um Certo Capitão Rodrigo foram lançados como livros?). O tom…

  • Livros e a biblioteca

    O Continente vol. 1 (O Tempo e o Vento #1), de Erico Verissimo

    O primeiro volume de O Continente é a abertura da obra prima de Erico Verissimo, O Tempo e o Vento (publicado em três romances: O Continente, O Retrato e O Arquipélago – os dois primeiros possuem dois volumes, enquanto o terceiro foi dividido em três). Publicado em 1949, a intenção de Erico era escrever apenas O Continente, mas a história tão grandiosa da saga familiar que é também um microcosmo da História do Rio Grande do Sul pedia mais. E Erico nos deu de presente, alguns anos mais tarde, os dois volumes de O Retrato e os três volumes de O Arquipélago. Reeditado inúmeras vezes pela Editora Globo, hoje as…

  • Livros e a biblioteca

    Histórias do mundo para crianças, de Monteiro Lobato

    Histórias do Mundo para as Crianças Monteiro Lobato Editora: Brasiliense Páginas: 184 Skoob | Goodreads [xrr rating=4/5] Em Histórias do mundo para crianças, Dona Benta conta para os netos e para a boneca Emília toda a História do mundo até a II Guerra Mundial (já que o livro foi escrito logo depois de seu término). O formato é de contação de histórias, ela conta um pouquinho dos fatos e dos personagens importantes da nossa História um pouquinho por noite, com algumas interrupções de Emília e diálogos com Narizinho e Pedrinho. A leitura do livro ocorreu aos poucos, eu lia aos poucos, um pouquinho de História sempre que sobrava tempo. A…

  • Livros e a biblioteca

    Che Guevara – A vida em vermelho, de Jorge G. Castañeda

    Escolher uma biografia é escolher ler sobre um personagem real do qual queremos conhecer mais sobre sua vida. Nesse sentido, a escolha recai mais sobre o personagem em si do que ao livro que poderemos ler, visto que um mesmo sujeito pode ter sua vida biografada por mais de um autor. Eu não li muitas biografias ao longo de minha vida, e não estou acostumada com a linguagem utilizada (se é que existe um padrão no gênero), e me deparar com uma biografia de um personagem tão enigmático quanto mitológico para a juventude do século XX foi uma bela surpresa. Na verdade eu comecei a ler Che Guevara – A Vida em Vermelho, de Jorge G. Castañeda,…

  • Vida de estudante

    Trajetória universitária

    – Eu passei no vestibular da UFRGS para Letras Bacharelado! – Como assim? Tu não estava te formando em História Licenciatura pela UFRGS? – Sim. Minha formatura é dia 17 de fevereiro. – Então? Acontece que eu adoro ler, adoro estudar, me preparei para o vestibular de novo e consegui entrar para um curso que eu sempre tive vontade de fazer e até já tinha tentado entrar alguns anos atrás. Exercerei a profissão de professora de História, é isso que quero. O Bacharelado em Letras é um complemento de estudos, uma vontade de aprender mais e uma possibilidade de ganhos extras com a tradução (todos sabemos que a profissão de…

  • Diário (ou quase),  Vida de estudante

    The end of an era, and the beginning of another

    No último fim de semana finalizei o trabalho de conclusão de curso para obter o grau de licenciada em História na UFRGS. Pois bem, de agora até fevereiro de 2011, quando houver a cerimônia de colação de grau e finalmente ter obtido meu diploma de graduação, vivenciarei um período de transição, adaptação. Então, terei completado um ciclo que durou sete anos. Sete anos desafios e escolhas. Sete anos, duas universidades, uma graduação e muitos amigos, aprendizados e experiências. Agora vivo a nostalgia. Todas as noites, antes de dormir, lembro dos momentos, bons e ruins, que vivi ao lado dos colegas e professores. Das provas, trabalhos, bolsas de pesquisa e estágios.…

  • Livros e a biblioteca,  Vida de estudante

    Mergulhando em Ernest Hemingway

    Turbulento. Assim eu caracterizo esse segundo semestre de 2010. Finalmente escrevo a monografia de conclusão de curso, popularmente conhecido como TCC. Muita gente já sabe, mas não custa nada comentar, a fonte de pesquisa que utilizo são dois textos literários, um de Ernest Hemingway – Por Quem Os Sinos Dobram –  e outro de André Malraux – A Esperança. No momento estou mergulhada em textos de e sobre Ernest Hemingaway, tentando redigir um dos capítulos da monografia. E estou gostando.

  • Sora Dani

    Feliz dia do Historiador.

    A função do Historiador é lembrar a sociedade daquilo que ela quer esquecer. (Peter Burke – Historiador francês) A profissão de Historiador ainda não existe, mas já temos um dia dedicado aos profissionais da História. A Lei que criou o Dia do Historiador é de autoria do Senador Cristovão Buarque (LEI Nº 12.130, DE 17 DE DEZEMBRO DE 2009). O dia 19 de Agosto foi escolhido em homenagem ao nascimento de Joaquim Nabuco era Historiador além de político, diplomata, jurista e abolicionista. No Legislativo já tramita o Projeto que garante o reconhecimento da profissão. Na página da ANPUH é possível acompanhar as informações sobre o assunto, além de poder acessar…