• Cotidiano

    Goodbye Graveyard Zombie: Bill Hinzman (1936-2012)

    Bill Hinzman morreu de câncer na noite de domingo dia 5, aos 75 anos. O ator ficou conhecido como o “zumbi nº 1” no clássico absoluto de filmes de zumbis do mestre George Romero “Night of the Living Dead (A noite dos mortos vivos)” de 1968. Bill Hinzman, nascido Samuel William Hinzman, era uma figura notável no circuito de convenções de horror e dentro dos círculos de zumbis por seu papel como o primeiro zumbi a aparecer no filme “Night of the Living Dead” em um cemitério na Pensilvânia. Hinzman sempre se orgulhou de seu papel, e os fãs de horror sempre o viram em convenções andando com traje de…

  • Livros e a biblioteca

    O Meme Literário de Um Mês 2011 – Dia 17

    Cite um livro que você achou que iria gostar e acabou não gostando. (Fale sobre ele) Um livro que eu queria muito ler, estava sempre procurando informações sobre ele e tinha muitas expectativas sobre foi Morgan: O Único, de Douglas Eralldo. Pela sinopse eu esperava um livro incrível, afinal como um livro sobre zumbis poderia ser ruim? Pois a decepção foi muito grande. Apesar do assunto que me fascina, eu não apreciei o livro como gostaria. Como fã de zumbis, achei a história mal contada, sem motivação e sem a adrenalina típica das histórias de mortos-vivos. O livro tem seus méritos e suas desculpas, mas mesmo assim foi uma decepção…

  • Livros e a biblioteca

    Areia nos Dentes, de Antônio Xerxenesky

    Livro de faroeste com zumbis. Sim, para impressionar já de antemão. Como o Daniel Galera falou na primeira linha da orelha do livro: “Se tem zumbi no meio, só pode ser bom”. Acho essa frase muito verdadeira, com raríssimas exceções. E Areia nos Dentes definitivamente não é uma excessão. O livro está aí para confirmar que história com zumbi é boa de ver, de ler e de contar. Xerxenesky usa e abusa das referências cinematográficas para compor seu cenário inusitado: o oeste, aquele velho oeste de filme americano (seja ele filmado na Itália ou na Espanha, ou não). Confesso que o gênero de filmes nunca foi meu forte, que vi…

  • Livros e a biblioteca

    Morgan: O único, de Douglas Eralldo

    Morgan: O único é o livro de estréia de Douglas Eralldo. Morgan, o protagonista, é um zumbi que conta sua história. Ele narra como foi se transformar em zumbi e como foi encontrar a pequena cidade (que fica claro ser do Rio Grande do Sul) em que vivia e tudo que aconteceu depois de ter levantado da própria tumba. Uma ideia interessante e o maior mérito do livro, e apesar de não ser o primeiro defunto a narrar sua história na literatura nacional, é o primeiro a narrar os post morten (pelo que tenho conhecimento). Morgan é um zumbi diferente, aliás, bastante diferentes dos zumbis a que estamos habituados. Morgan…