• Diário (ou quase),  No Passado

    uma dani ainda mais mini… e seu amigão

    Eu estava aqui arrumando umas coisas e recebi mensagem de Feliz dia das Crianças. Ora, eu no auge dos meus 36 anos já passei dessa fase há muito tempo. Mas é tão bom relembrar. E quem disse que não se pode manter viva nossa criança interior? Aí eu me deparo com essas fotos. Ah, uma enxurrada de memórias. E atente-se para o boneco do Fofão. Lembra desse personagem? Não era nascido ainda? Tudo bem. Basta saber que eu AMAVA esse boneco. Tive ele até meus 20 anos, mais ou menos. Lembro que foi difícil desapegar. Tão difícil que uns poucos anos atrás eu vi um igualzinho no Brique da Redenção…

  • Louca dos gatos

    Descansa em paz, meu eterno velhote

    Domingo (20/09) o Gandalf faleceu. Era início da noite. Mais ou menos 19:30. De manhã ele estava deitado no sofá. Fazia tempo que ele não deitava no sofá, sempre procurava os lugares mais esdrúxulos para ficar: o braço do sofá, em cima do modem da internet… Mas ele estava ali, com uma cara de cansado. Como eu fazia há dias, preparei a comida dele: ração seca, ração úmida e água morna. Peguei ele no colo para levá-lo até a comida (o gato velhote já estava ficando senil e nem sempre se dava conta da comida, precisava de estímulo pra comer). Coloquei ele na frente do pratinho e… Bem, ele não…

  • Louca dos gatos

    gato velho, muito velho

    Meu gato velho tá muito velho. Ele já é um senhorzinho de 16/17 anos de idade, que sofreu muito num gatil antes de eu adotá-lo. Ele carrega as sequelas disso até hoje. Meu gato velho tá muito velho. Isso dói no coração. Queria que ele vivesse pra sempre. Queria muito. Gandalf, fica aqui comigo pra sempre? Por favor? Meu gato velho tá muito velho. Muito velho.

  • Diário (ou quase)

    eu procrastino…

    Eu não fiz nada da dissertação essa semana. De novo. Isso está se tornando muito chato. Eu tenho um sério problema de trabalhar em condições não ideias. Eu tenho muito tempo (quarentenando…). Aí não faço nada com ele. E quando to apertada, cada minuto rende. Meu TCC foi moleza pq eu não tinha um segundo livre do dia. Aí eu lia e escrevia muito. Tava trabalhando em dois lugares, cursinho pré vestibular, aula do último semestre. Aí parece que o cérebro entende: tem que render. Tipo inércia. Se tá em movimento, continua em movimento. Se não tá, fica parado. Falta o impulso. Loucura da minha cabeça? Talvez. Mas faz sentido.…

  • Livros e a biblioteca

    Top 8: Canções de Atormentar

    Os oito poemas favoritos do mais novo livro de Angélica Freitas. Meio démodé fazer top 5, meio hipster fazer top 8. Um limbo entre aqueles que amam o livro/filme sensação cult no início dos 2000 e aqueles que não conseguem escolher apenas cinco. Segunda-feira, 24 de agosto de 2020 – dia x+2y de isolamento social. Saí de casa, um momento de exceção. Caminhei 500 metros do prédio onde moro até a Livraria Baleia, livraria essa que não conhecia, apesar de ficar exatamente em frente ao local em que treinava roller derby (quantos séculos se passaram desde o último treino?). Máscara, álcool gel depois de tocar a campainha. Peguei a sacolinha…

  • Internet +,  No Passado

    Hello World! Eu voltei!

    Isso mesmo. Como diz o ditado: o bom filho à casa torna. Exceto que eu não retornei pra casa, eu montei uma casa nova na rede mundial de computadores. Uma nova era. Não sei que outro jeito chamar o nascimento desse blog. Demorei mais de dois anos pra conseguir desapegar do nome trecos&trapos, blog que me acompanhou por tanto tempo, que viu as muitas fases da blogosfera nascer e morrer, que me rendeu momentos e pessoas incríveis. Mas já não era de hoje que esse nome não era mais o que eu queria do lugar que abriga meus textos, minhas fotos, minhas experimentações e minhas aventuras. O trecos & trapos…

  • colagem
    Diário (ou quase)

    Reflexões sobre um pé na bunda

    Hoje faz uma semana que o relacionamento no qual eu mais me permiti terminou. Tem um momento depois do pé na bunda que a gente começa a ver, mesmo que ainda muito pouco, por trás do véu da admiração. Aí aquela imagem perfeita que a gente cria na nossa mente apaixonada vai se desconstruindo pouco a pouco. Às vezes vemos que a pessoa em questão nunca gostou realmente de ti e você só se deixou navegar por águas pouco amigáveis por conta de uma idealização. Que foi tudo uma enganação e que você foi só mais uma na rede de conquistas. Entendo que ter muitos matchs no Tinder, muitos encontros…

  • Amor, por AnaSofia
    Cotidiano,  Diário (ou quase)

    Sobre sentimentos

    Bom, depois de um final de semana fantástico, sinto-me compelida a me expor um pouco mais nesse blog. Pode ser que eu me arrependa… Então… Eu não gosto de sexo casual. Eu faço, claro, mas não gosto. Eu preciso ter algum tipo de conexão com a pessoa. Essa é a verdade. Eu gosto de transar, não me entenda mal, já usei Tinder só pra isso. Mas no final das contas eu sempre me sinto vazia. Aí eu vou lá e tento mais um pouco. Quando começo a me apegar, me afasto. Isso porque a outra pessoa não tem obrigação de suprir as expectativas que começo a criar nesse processo. Ok,…

  • Cotidiano,  Garimpo

    Lista de desejos

    Eu não sou uma pessoa de querer muitas coisas. A quem eu quero enganar? Eu quero muitas coisas sim. Mas não tenho uma lista imensa de coisas que eu queira muito. A lista é bem pequena. E vai mudando conforme eu vou mudando, é claro. Mas eu sou bem controlada, ou pelo menos tento ser, e não saio consumindo desenfreadamente cada coisa que eu gostaria de ter em algum momento da minha vida. Mas tem aquelas que estão na lista há muito tempo e vão se tornando pequenos (ou enormes) objetos de desejo. Eu resolvi tirar do meu organismo esses desejos para poder seguir em frente com a minha vida…

  • Cotidiano,  Livros e a biblioteca,  OrganizaDani

    A saga da estante arrumada

    Eu estou há tempos fazendo uma limpeza geral nos livros. Eu já reorganizei e separei o que fica e o que sai da estante. Tenho muita dificuldade em me desapegar dos livros lidos, porque a maioria são livros que eu gostei. No entanto, adotei um critério. Os livros que eu classifiquei no Goodreads com três ou menos estrelas não ficam. Por quê? Porque eles não mexeram muito comigo. Não foram leituras que me moveram por demais. Então eles saem. Mas isso gera um fenômeno… Eu sempre tenho mais livros não lidos do que livros lidos na estante. Aliás, ainda estou correndo atrás de ler tudo que tenho pendente nas prateleiras…