• Livros e a biblioteca

    Saga dos Volsungos (Anônimo do séc. XIII)

    Saga dos Volsungos. Anônimo do séc. XIII. Org. e trad.: Théo de Borba Moosburger. São Paulo: Hedra, 2009. A ótima tradução de Théo Borba, direta do islandês antigo, traz ao público brasileiro uma das obras mais fantásticas da literatura nórdica medieval. Do nórdico antigo: Völsunga saga, a obra original é uma compilação de várias histórias que faziam parte da tradição oral da Islândia. O texto em forma de prosa narra a origem, o auge e o declínio do clã dos Volsungos (descendentes do rei Volsung). Também conta a história do herói Sigurd, que mata o dragão Fafnir e integra um triângulo amoroso com a valquíria Brynhild e o rei Gunnar.…

  • Livros e a biblioteca

    Um poema aos Domingos #1

    O trecos & trapos está passando por algumas reformulações, dentre elas a criação desta coluna: Um poema aos Domingos. Sempre aos Domingos, em quase todos, publicarei um poema do qual eu goste ou uma indicação tua. Por quê? Simplesmente porque a poesia nunca foi meu forte. Nem na leitura, muito menos na escrita. E eu quero descobrir um pouco mais sobre poetas e suas obras e sensibilizar-me um pouco mais a partir desse formato de literatura. No começo vou colocando os poemas que gosto. E para começar bem resolvi colocar um poema de Heiner Müller. O poema é uma homenagem à Pina Bausch. Sangue na Sapatilha ou Enigma da Liberdade…

  • Cotidiano

    Blog Retrospectiva 2008

    Em outro desafio lançado no blosque fui convocada a fazer a retrospectiva 2008 aqui do blog. E curiosamente essa já era minha intenção desde muito tempo. O bom do desafio foi dar as bases para tal retrospectiva. A seguir, então, escolhi um post de cada mês de 2008 para recordar. Janeiro: Permacultura – um texto introdutório à prática da permacultura, em tempos de aquecimento global é muito importante pensar em alternativas naturais e saudáveis para cuidar de si e do planeta. Fevereiro: Visita de Peso – neste texto eu mesclei um pouco de experiência pessoal (ter conhecido o Lucio) com uma dica de documentário (Lucio, de 2007). Um pouco da…

  • Livros e a biblioteca

    1984 de George Orwell

    A primeira vez que eu li 1984, de George Orwell (no auge dos meus quatorze anos) o fiz por curiosidade. Nasci no ano de 1984 e queria saber o que um livro escondido em um canto da biblioteca da escola e com tal título poderia me dizer. Fui criada para ser uma bitolada, tanto pela escola quanto pela família (não intencionalmente: família pobre e sem instrução). O gosto pela leitura (paradoxalmente incentivado por minha mãe) me desviou desse caminho agonizante. E ao ler 1984 lá em 1998 eu fiquei chocada com tudo aquilo. Pensei se tratar apenas de uma ficção científica politizada, uma crítica à sociedade que poderíamos criar. Não conhecia a história…

  • Livros e a biblioteca

    Redescobrindo Galeano

    Nas leituras de adolescência ele sempre esteve lá, presente. Denunciando, cúmplice dos meus anseios, desejos, rebeldias. Passou por tanto tempo engavetado, em um cantinho escondido do meu subconsciente. E com uma leitura, pequena leitura, de um pequeno parágrafo ele pula para fora da gaveta, aponta para os neurônios, cutuca e faz a maravilha das sinapses acontecer. Agradeço a Eduardo Galeano por muitas coisas. Agora é hora de retomar, reler, relembrar. Sussurrar ao pé do ouvido as frases cortantes de seus textos. Galeano de alma castelhana, forte, aguerrido e bravo. Peleador das palavras. Me encontro com as janelas da alma escancaradas para receber suas frases. Com o coração aceso, pronto para…

  • Diário (ou quase)

    Justificativas

    Como não é do meu costume abandonar o blog, nem postar no estilo “diário”, resolvi apenas citar o que ando fazendo para justificar minha ausência. Em primeiro lugar as aulas terminaram e fui bem em tudo: Arqueologia A: A Arqueologia I – A: A História da Idade Média Oriental A: B História do Brasil III A: A Introdução à Arte: A Pré-História Brasileira: B Pondo em dia as leituras, isso inclui literatura, HQs e livros de história, filosofia e arte a tempos esperando na fila.

  • Livros e a biblioteca,  Sora Dani

    Da série Raí­zes do Brasil

    “Estereotipadas por longos anos de vida rural, a mentalidade da casa-grande invadiu assim as cidades e conquistou todas as profissões sem exclusão das mais humildes.” (HOLANDA, Sérgio Buarque. Raí­zes do Brasil, p. 55-56). Raí­zes do Brasil é um pequeno livro de mais ou menos 150 páginas, depende da edição que o leitor escolhe, e não serve para uma leitura descompromissada. É o tipo de livro que necessita de uma leitura lenta, saboreada, para que todos os fios e teias de argumentos não se percam, e a magnitude das palavras de Sérgio Buarque de Holanda não confundam a cabeça de um leitor desavisado. Raí­zes do Brasil trata de entender um processo…

  • Livros e a biblioteca

    O Hobbit – J. R. R. Tolkien

    Ontem à noite terminei de ler, ou melhor dizendo, devorarar O Hobbit. O livro é fantástico, surpreendente e as aventuras são incríveis. Quando comecei a ler não pensei que iria terminar tão cedo: férias, outro ritmo de leitura. Pelo contrário, quase comi as páginas de tão excitantes e instigantes que são. Pode parecer babação de ovo, e é, mas eu simplesmente amei. As aventuras de Bilbo Bolseiro são tão boas quanto as de Frodo Bolseiro, e se Peter tivesse gravado O Hobbit também, teria feito um ótimo trabalho e só viria a acrescentar na Saga do Anel.