• Livros e a biblioteca

    Top 8: Canções de Atormentar

    Os oito poemas favoritos do mais novo livro de Angélica Freitas. Meio démodé fazer top 5, meio hipster fazer top 8. Um limbo entre aqueles que amam o livro/filme sensação cult no início dos 2000 e aqueles que não conseguem escolher apenas cinco. Segunda-feira, 24 de agosto de 2020 – dia x+2y de isolamento social. Saí de casa, um momento de exceção. Caminhei 500 metros do prédio onde moro até a Livraria Baleia, livraria essa que não conhecia, apesar de ficar exatamente em frente ao local em que treinava roller derby (quantos séculos se passaram desde o último treino?). Máscara, álcool gel depois de tocar a campainha. Peguei a sacolinha…

  • Livros e a biblioteca

    um poema

    Eu não sou uma pessoa que entende muito de poesia. Mas eu acabo, vez por outra, encontrando alguns poetas e poemas que me marcam de diversas maneiras. Angélica Freitas é um desses casos. Esse ano eu li da autora o incrível “Um útero é do tamanho de um punho“. E foi um punho certeiro na boca do meu estômago. Imagens muito fortes e muito críticas. Então eu recomendo muito conhecer a poesia de Angélica, mesmo se você não é tanto de poesia, como eu. Porque ela vai falar direto contigo, e vai falar alto, contundente. Uma provinha do que você vai encontrar: porque uma mulher boa é uma mulher limpa…

  • Livros e a biblioteca,  No Youtube

    Dia D. Dia de Drummond

    No dia 31 de outubro de 1902, nascia o grande poeta brasileiro Carlos Drummond de Andrade (1902-1987). Para comemorar a data, o Instituto Moreira Salles lança a ideia de instituir um Dia D – Dia Drummond –, que passa a fazer parte do calendário cultural do país. Então, a partir de hoje, todo dia 31 de outubro comemoraremos o Dia D aqui no Brasil. E no mundo, por que não? Como parte das comemorações, o IMS incentivou o pessoal a filmar suas leituras dos poemas de Drummond e enviar para o site especial criado para o Dia D. Eu fui convidada para fazer uma leitura do poema A Quadrilha junto…

  • Livros e a biblioteca

    O Meme Literário de Um Mês 2011 – Dia 20

    Você gosta de poesias? (Qual o seu poeta ou poema favorito?) Serei muito sincera aqui, eu não sou muito fã de poesia. Um pouco porque não tenho o costume de ler e também porque dificilmente eu leia uma poesia que realmente goste. E falo aqui não do mérito dos poetas, mas da maneira como ela me tocou. Sendo assim, fica difícil dizer qual meu poeta favorito. Posso apenas citar alguns dos que eu gosto, como Augusto dos Anjos e Fernando Pessoa. E recentemente li um livro de poesias que eu gostei bastante, que é o Morte e vida severina e outros poemas para vozes, do João Cabral de Melo Neto,…

  • Livros e a biblioteca

    Morte e vida severina e outros poemas para vozes

    Eu confesso que não sou muito chegada em poesia. Não tenho o dom para apreciá-las como deveria, são poucas as que me agradam. Não sei porque, mas desde que me conheço por leitora sou assim. No entanto, uma das coisas mais lindas que já li na minha vida foi a apresentação de Severino em Morte e Vida Severina, de João Cabral de Melo Neto. É simples, sucinto, e ao mesmo tempo tão forte e marcante que é impossível esquecer quem é Severino. Ele é um nordestino, ele é ao mesmo tempo um personagem único e inúmeros brasileiros. O retirante nordestino a quem coube o nome de Severino percorre a mesma…

  • Livros e a biblioteca

    Confissões de um poeta

    Comecei a ler Pablo Neruda logo por um livro de memórias, eu que nunca li sequer um de seus poemas. O poeta comunista conta em Confesso que Vivi sua trajetória de vida desde sua infância no sul do Chile até o 11 de setembro mais marcante da história recente da América Latina: o golpe que derrubou e matou Salvador Allende na década de 1970 no Chile. E como esse poeta passou por coisas nessa vida. Trabalhou nos muitos consulados chilenos pelo oriente, na Espanha (onde presenciou um dos maiores e mais emblemáticos conflitos do século XX, a Guerra Civil Espanhola), passeou por outros países da Europa e da América Latina.…

  • Livros e a biblioteca

    Um poema aos Domingos #1

    O trecos & trapos está passando por algumas reformulações, dentre elas a criação desta coluna: Um poema aos Domingos. Sempre aos Domingos, em quase todos, publicarei um poema do qual eu goste ou uma indicação tua. Por quê? Simplesmente porque a poesia nunca foi meu forte. Nem na leitura, muito menos na escrita. E eu quero descobrir um pouco mais sobre poetas e suas obras e sensibilizar-me um pouco mais a partir desse formato de literatura. No começo vou colocando os poemas que gosto. E para começar bem resolvi colocar um poema de Heiner Müller. O poema é uma homenagem à Pina Bausch. Sangue na Sapatilha ou Enigma da Liberdade…

  • Livros e a biblioteca

    Caio Fernando Abreu

    Ah, Caio. Como são inspiradoras suas palavras. Ao ler, elas caem fundo na alma, e descem até o tornozelo. Só para depois poderem subir lancinantes de volta à boca e sairem cuspidas dos lábios. Em forma, de novo, de poema. Dito, falado, gritado, cortado. Caio foi poeta, pensador e humano.

  • Música

    Björk é capa da Bravo!

    Björk é capa da conceituada revista Bravo! deste mês, uma das melhores cantoras na capa de uma das melhores revistas. Anunciando a chegada da musa no fim de outubro para o Tim Festival a matéria comenta as muitas presenças femininas no evento e tece relações das gurias com Andy Warhol, o maior artista pop de todos os tempos. No Festival “As principais atrações são mesmo as cantoras que não se limitam a gravar composições de outros, atuar em videoclipes e dar shows. Há muito mais nelas do que esse básico obrigatório. Elas vão além, invadindo outras formas de arte e criando verdadeiros reinos. O exemplo mais bem-acabado disso é Björk”…