Filmes e séries

Dollhouse – recapitulando a primeira temporada (parte 2)

Continuando a recapitulação da 1ª temporada de Dollhouse:

Dollhouse – 1×07 – Echoes – 8,0

Exibido originalmente  no dia 27 de Março de 2009. Escrito por Elizabeth Craft e dirigido por James A. Contner.

Echo abandona uma missão e vai para para uma universidade nas proximidades, onde todo o campus está sendo afetada por uma misteriosa droga da memória. A Corporação Rossum pede para Adelle enviar um grande contingente de ativos para um campus universitário na tentativa de recuperar recuperar essa droga experimental. A droga traz à tona lembranças reprimidas que afetam a todos, incluindo os ativos. Algumas origens de Echo são reveladas neste episódio que é muito bom, uma sequência de informações relevantes são muito bem colocadas para o espectador.

Dollhouse – 1×08– Needs – 8,0

Exibido originalmente no dia 03 de Abril de 2009. Escrito por Tracy Bellomo e dirigido por Félix Enríquez Alcalá.

Os piores receios dos responsáveis pela Dollhouse são realizados, os ativos começam a despertar (não sem a providencial auda de Acho, Victor e Sierra) e recordar algumas das suas “vidas passadas” e planejam fugir da casa. É a primeira vez que temos uma narrativa inteiramente na casa. Um falha no processo de impressão despertou os ativos e eles perdem o estado de inocência,mas sem lembrar quem realmente são configura uma dinâmica envolvente, em que o espectador sente o potencial de suas perguntas sobre os personagens finalmente serem atendidas.

As nossas respostas emocionais são transferidos para Echo, Victor, Sierra e November (Mellie), e, portanto, a orientação para a resolução dos seus enigmas respectivos tornam-se mais cativante. É muito bom ver esta questão a ser abordada, e é perfeitamente lógico que DeWitt e Cia. sentissem a necessidade de resolver a questão antes de enviar alguém para o mundo lá fora. A execução deste processo é em grande medida louvável: o conceito de “limpar o cérebro”. É também muito interessante para ver os ativos interagirem significativamente uns com os outros para além das impressões.

Dollhouse – 1×09 – A Spy in the House of Love – 8,5

Exibido originalmente no dia 10 de Abril de 2009. Escrito por Andrew Chambliss e dirigido por David Solomon.

DeWitt deixa Dominic no comando da casa quando ela tem que sair para um curto período. Quando é descoberto um traidor dentro da Dollhouse, Echo e Sierra so programadas para erradicar o espião. Dushku faz um grande trabalho de detetivecom Echo, claramente saboreando a oportunidade de ter em mão uma boa personalidade, já que ela normalmente tem de agir como um vegetal humano.

Dichen Lachman também arrasa. Enquanto o espectador esta, ciente da posição de Dominic como o traidor, a ironia dramática realmente funciona, pois é gratificante tanto para ver como ele lida com a situação, planejando e contorcendo o seu caminho em torno do problema. Uma vez que o gato está fora do saco, somos tratados a uma série de seqüências deliciosas, incluindo uma luta coreografada soberbamente entre Echo e Dominic. No “mundo real”, por si só, Ballard finalmente recebe a chance de ver Mellie. Tamoah Penikett aqui é excelente, transmitindo o caráter de surpresa e horror sem uma grande dose de diálogo. Apenas a sub trma de DeWitt com Victor deixa um pouco a desejar.

Dollhouse – 1×10 – Haunted – 8,0

Exibido originalmente no dia 24 de Abril de 2009. Escrito por Jane Espenson e dirigido por Elodie Keene.

Echo é programado com as memórias de uma mulher morta na esperança de que ela poss ajudar a solucionar o assassinato da mulher. Um novo uso para a tecnologia de “Dollhouse” – a vida eterna. Felizmente isso não é mesmo uma opção e até mesmo DeWitt só permite-o como um favor a um velho amigo, e então é apenas temporária. Topher secretamente prepara Sierra para um compromisso, e Ballard tem uma participação muito bacana nesse episódio. Quando Mellie lhe que vai apoiá-lo, o faz de forma muito carente, mas ao mesmo tempo muito doce. No entanto o efeito sobre Ballard é preocupante. Na manhã seguinte, ela pergunta se ele vai continuar investigando os clientes da Dollhouse e ele responde que ele já encontrou um: ele mesmo. Seu auto-desgosto é óbvio.

Dollhouse – 1×11 – Briar Rose – 8,5

Exibido originalmente no dia 1º de Maio de 2009. Escrito por Jane Espenson e dirigido por Dwight H. Little.

Briar Rose é o título original de A Bela Adormecida e sim, as alusões a este episódio veio a nós por todos os lados. A impressão de Echo foi feita por uma causa altruísta, Echo utiliza a história de “A Bela Adormecida” para ajudar uma jovem superar um trauma do passado, mas que prenunciam a história futura dela própria. Pedações da personalidade desta mesma garotinha projetada para como ela seria no futuro se tivesse uma infância saudável. Enquanto isso, Ballard pode ter encontrado o designer original da Dollhouse. Nesse episódio é revelado quem é a Drs. Saunders e Alpha finalmente aparece.  Se eu falar mais estragarei toda a surpresa. Esse é um daqueles episódios que cada cena é uma informação nova e cada uma delas e como se fosse um soco no estômago. Pura adrenalina. Eu adorei.

Dollhouse – 1×12 – Omega – 8,5

Exibido originalmente no dia 08 de Maio de 2009. Escrito e dirigido por Tim Minear.

Como todo bom final de temporada, esse foi muito bom! Temos Acho sequestrado por Alpha e muitos seredos da Dollhouse transbordando. E pobre Echo, sofre uma overdose de impressões, todas ao mesmo tempo. Um pequeno presente de Alpha. Ops, não posso contar coisas demais. Um final bem interessante, compreendemos quem é Alpha (ou quem são). Mais ou menos também, porque muitas coisas ficam guardadas para a segunda temporada.

Dollhouse – 1×13 – Epitaph One – 10,0

Exibido originalmente no dia 28de Julho de 2009. Escrito por Joss Whedon, Maurissa Tancharoen e Jed Whedon e dirigido por David Solomon.

Uma história de um futuro possível e apocalíptico (em 2019) para o universo das bonecas, onde um grupo de pessoas tentava desesperadamente fugir da cidade e qualquer tecnologia para evitar perder sua personalidade tendo a mente apagada e seu corpo roubado. Esse sim, um episódio brilhante, com ótimos atores e a melhor história de todas. Confesso que gostaria de ver a série que se desenhou em Epitaph One.

Esse episódio fez o meu amor por Dollhouse crescer ainda mais. Foi épico, de tirar o fôlego e GRAVEMENTE deprimente. Vendo o que o mundo de Dollhouse seria ou será dali mais ou menos 10 anos. Uau, foi assustador! Topher foi um clássico absoluto. Eu realmente me senti tocada com a forma como Adelle estava cuidando dele durante a sua loucura. Havia um monte de perguntas: O que aconteceu com todos os ativos e todos da Dollhouse? Onde eles estão no futuro? Como começou a loucura de Topher? Como começou aquela guerra? Em geral, um episódio fantástico que manteve você querendo mais.

Anarca, feminista, vegana, cat lady, bookworm, roller derby, hiperbólica, entusiasta das plantas e constante aprendiz. Rainha de paus, professora de história, amante de histórias. Meu peito é de sal de fruta fervendo num copo d'água. 🌈✊Ⓥ👩🏻‍🏫👩🏻‍💻📚🧙‍♀️🎨📿🥾🏕️ 🐈 🐈 🐈 🐈 🐈 🐈

Deixe seu comentário

3 Comentários
Oldest
Newest Most Voted
Inline Feedbacks
View all comments
trackback
5 de fevereiro de 2010 12:59 pm

[…] Adelle usa esse conhecimento para seu melhor interesse. Temos uma pequena indicação de que tudo será como em Epitah One. E vemos Boyd receber um telefonema de alguém em particular sobre paradeiro de Echo. Ballard […]

trackback
1 de abril de 2010 5:42 pm

[…] da sede da Corporação Rossum. O episódio é a sequência dos acontecimentos de “Epitaph One” – o “episódio perdido” da primeira temporada – trazendo Mag (Felicia Day), […]

trackback
20 de julho de 2010 11:41 pm

[…] conteúdo dá continuidade à trama apresentada nos episódios Epitaph One e Epitaph Two (últimos episódios da primeira e segunda temporada) e recebeu o nome de […]

3
0
Would love your thoughts, please comment.x
()
x